Editorial – Responsabilidade de todos

Editorial publicado na edição 124 – janeiro/2017 – versão impressa do Jornal A Cidade.

Antes mesmo de chegar o verão as pessoas se organizam para curtir as férias, de preferência em um lugar paradisíaco, como as praias de Governador Celso Ramos. Mas quando se fala em responsabilidades e cuidados, poucos pensam.

Muitas obrigatoriedades são de todos, do poder público, dos visitantes, dos comerciantes e demais pessoas que circulam pela cidade. Vai desde jogar um papel de bala na lixeira até construir uma obra e instalar uma fossa, filtro e sumidouro e dependendo da sua grandiosidade uma estação de tratamento de esgoto. Neste último exemplo cabe aos fiscais da prefeitura fiscalizarem corretamente, punir quem estiver fazendo errado e obrigar a fazer a instalação correta.

Oras, por mais que novas coletas da água do mar foram feitas para provar que o posto 2 da Praia de Palmas é próprio para banho, não tem como duvidar que a coleta da Fatma (Fundação do Meio Ambiente), de 3 de janeiro, estava incorreta. Momento este que colocou Palmas como praia imprópria para banho. Quem mora aqui sabe das ligações clandestinas de esgoto ligadas diretamente na rede pluvial, em Palmas e em toda a cidade. Isso é um crime. Quem é o culpado disso? Será que começou há um ano, ou há 10? Se continuar assim é bem provável que em poucos anos todas as praias ficarão poluídas. Se isso acontecer, o turismo que recebe mais de um milhão de pessoas vai acabar.

Consequentemente acabarão os empregos e a forma saudável de viver por aqui. A prefeitura afirma que tentará recursos para instalação de ETEs (Estações de Tratamento de Esgoto). É um sonho e cada órgão público deve fazer sua parte. Mas enquanto isso não acontece, o que fazemos? Vamos esperar? Ou vamos fazer nossa parte?

O município também não possui coleta seletiva de lixo, mas no último ano foi possível observar diversos veículos da região de Tijucas e São José que recolhem este material. Será que é difícil separar seu próprio lixo? Ou vai esperar o poder público ou alguém criar coragem e montar uma cooperativa? Não se esqueçam, muitas tartarugas aparecem mortas na beira da praia. Por que será? Poluição? Comem plásticos pensando ser águas vivas? A natureza esta morrendo, e nós?

Cristiane Toschi – Editora

Deixe uma resposta

Você pode gostar também