Quando dizer NÃO é um SIM?

Por Fernanda Zanon – Psicóloga

Falar de educação dos filhos não é tarefa fácil, você lembra de como seus pais o educaram e como você educa seus filhos nos dias atuais?

As crianças de hoje parecem diferentes de como fomos, não é? O mundo atual tem muito mais estímulos, mais informações e a tecnologia.

Devido às muitas mudanças, principalmente no quesito economia, os pais estão cada dia mais ocupados com seus trabalhos e atividades e quando chegam em casa à noite exaustos, de onde tirar energia para estar com os filhos? Como participar das tarefas de aula, brincar, conversar e dar a atenção que as crianças tanto querem?

Não de forma geral, mas a maioria dos pais liberam celulares (isso quando a criança já não possui o seu próprio), tablets, computadores e internet liberada para esses pequenos terem acesso ao mundo que muitas vezes os próprios pais desconhecem.

Você acompanha o que seu filho está conhecendo? É comum as crianças estarem a cada dia mais ansiosas, é muita informação para a cabecinha delas, e para muitos pais há uma compensação da sua presença por coisas materiais. Até mesmo uma inversão de valores, nos quais a criança entende que para ser feliz precisa ter algo ou alguém e essa busca externa pode carregar um vazio existencial para a vida.

Reservar um tempo para conhecer seu filho, dar atenção, conversar, ouvir o que acontece na escola, descobrir seus anseios, requer tempo e disposição.

Estabelecer regras, limites, horários, ensinar o que é certo e errado, é trabalhoso. Então quando o dizer NÃO é um SIM? Quando você deixa claro que ele não pode tudo o tempo todo, explica os motivos, não o chantageia emocionalmente, quando você mostra para a criança que ela não é a única no mundo e que ensinar e ir dando autonomia aos poucos é uma forma de dizer SIM para um dia tornarem-se adultos independentes emocionalmente, responsáveis, que saibam que em algum momento nos frustramos, mas que a vida segue e que ele é responsável pelos seus atos.

Há algum tempo era muito raro termos notícias de professores que sofrem agressão por alunos, de moradores de rua ou animais agredidos por um grupo de adolescentes mimados que não fazem a menor ideia do que a palavra respeito significa. Infelizmente nos dias de hoje essas notícias se tornaram comuns porque há crianças que crescem achando que podem tudo, frustração é desconhecida e ainda se consideram imortais, pois independente do que fizerem entendem que serão perdoados.

Da mesma forma acontece em casa, papéis não definidos, pais que se submetem as exigências dos filhos, que se endividam para atender suas demandas, que não conseguem dizer não nunca e a comunicação com respeito e autoridade está cada vez mais distante.

O não frustrar é como aleijar seu filho para a vida adulta, excesso de permissividade promove adultos frágeis, dependentes, acomodados e invasivos (sem a menor ­­­­­­­­ideia de onde termina o seu espaço e começa o do outro).

Fernanda Zanon

Psicologia Clínica

CRP 12/12792

(48) 99666-1330

Avenida Ganchos, 500, 1º andar – sala 4 – Ganchos do Meio

Edifício Comercial Farmácia Sodré

Imagens: Reprodução

Deixe uma resposta

Você pode gostar também