Pais e expectativas sobre os filhos

Por Fernanda Zanon – Psicóloga

Os pais possuem expectativas diante de seus filhos, dependendo das condições sociais, do nível de conhecimento, espiritualidade/crenças, sendo assim a criança poderá aprender determinadas lições, desenvolver habilidades e consolidar valores e virtudes. Ao mesmo tempo ela poderá sofrer traumas e desenvolver aspectos psicológicos que podem acompanha-la pela vida toda. Lembre-se: seus filhos nascem de vós, mas não vos pertencem.

A probabilidade é que cada um de nós nascemos com um propósito, mas com o passar do tempo, através do contato com o mundo, vamos cedendo as influências externas, adquirindo crenças e reprimindo aspectos naturais que cada um de nós possui. A formação da personalidade da criança acontece nos sete primeiros anos de vida e as crenças instaladas nessa fase irão permear toda a sua vida.

Então, logo cedo a criança começa a sentir ciúmes, raiva, inveja, ela aprende isso com as pessoas que estão ao seu redor, na maioria das vezes com os pais, mas também com educadores e familiares próximos. É muito importante que todos tenham consciência que a criança é como uma antena que capta tudo, tanto os bons como os maus exemplos e essas pessoas participam do processo de desenvolvimento da personalidade da criança. Muitas vezes por falta de conhecimento, acabam transferindo para a criança suas carências, medos e visão do mundo.

Quando a criança começa a frequentar a escola e inicia uma vida social, ela recebe novas informações, diferentes do que chega através dos pais e familiares, sobre o que é certo e errado, sobre o que deve ser ou fazer na vida (que no geral não é o que ela gostaria de ser ou fazer). Novos limites e regras são impostos, assim como novas ideias (preconceitos, crenças e opiniões).

É verdade que para que cresçam e se tornem adultos saudáveis emocionalmente, precisam de regras e limites, mas até que ponto você consegue identificar o que é do seu filho e o que são as suas expectativas em relação à ele?

Todo ser humano possui sonhos, desejos e expressões próprias, e com as crianças não é diferente, porque apesar de sermos semelhantes em muitos aspectos, cada pessoa é única. E com o passar do tempo, por fatores externos, vão ouvindo que seus sonhos são impossíveis, que esse caminho não é bom, que essa profissão que ele escolheu não dá dinheiro, que as roupas que ele gosta de vestir ficam feias, que não tem capacidade, sim, existem pais que minam os sonhos de seus filhos e projetam sua vida na vida dos filhos, uma maneira de refazer seus caminhos, uma nova chance de acertar, considerando os erros do passado.

A criança que ainda não foi corrompida e contaminada pelas crenças e mazelas dos adultos à sua volta, simplesmente segura na mão do pai e da mãe e vai com eles, sem saber para onde a estão levando, no entanto, aos poucos, ela deixa de confiar. Começa a ser atingida pelo medo na forma de desconfiança e da insegurança, pelo ódio na forma de raiva e da vingança.

Tem uma fase da vida das crianças que ela busca a identificação com o pai ou a mãe e isso significa muito para ela, o exemplo que você dá.

Isso acontece porque ensinam para ela, que ela é vítima das circunstâncias externas , em que ela vai criando mecanismos de defesa  e adquirindo crenças e comportamentos limitantes, ao mesmo tempo que limitam servem como proteção, construindo muros para se proteger e manter-se isolado do mundo.

Para que você conheça seu filho e o eduque, é importante que você tenha autoconhecimento e saiba diferenciar o que é seu, suas necessidades, seus traumas, suas carências, caso contrário, será somente uma reação ao passado e uma projeção das suas dores infantis (por exemplo: É comum pais procurarem ajuda para seu filho, e quem acaba por precisar de psicoterapia são eles).

Projetamos nossos sofrimentos nas crianças e queremos fazer delas aquilo que acreditamos ser o melhor. Tratar e curar seus traumas, permite que você diferencie a sua história da de seu filho e permite que você o eduque com regras e limites, mas sem projetar seus traumas.

Os pais que não possuem esse autoconhecimento, inevitavelmente irão tentar  formatar seus filhos de acordo com suas expectativas. Muitas vezes no seu entendimento, acha que está fazendo por amor, mas está apenas tentando resolver suas questões (por exemplo: Pais que tiveram uma infância pobre e cheia de privações, entendem que devem dar ao filho tudo de material que não puderam ter, quando este comportamento só vai reforçar no filho a ideia de que a felicidade  pode ser comprada).

É comum caso de crianças e adolescentes depressivos, alguns que chegam a situações extremas como o suicídio, possuírem tudo que o dinheiro pode comprar, mas nunca internalizaram o amor dos pais, não tiveram suas carências emocionais supridas e vivem um eterno vazio.

É importante que a educação seja com base em valores humanos, amor, atenção, o zelo pela inocência, espontaneidade e autoestima. Quando você percebe seu filho como ele é e mostra que o reconhece e valoriza seu potencial, você certamente estará aprendendo com ele e  o livrando de ser um adulto sem autonomia, infantilizado e incapaz de tomar suas próprias decisões.

No outro texto falei de limites, regras e o quanto o dizer sim sempre pode ser nocivo para o desenvolvimento das crianças. Neste, a importância de você conhecer seu filho, respeitando as diferenças e fortalecendo suas habilidades e autoestima. Ele não precisa de coisas caras, o que você fala e faz tem um peso muito grande para seu filho, muitas vezes observar, elogiar, não humilhá-lo já significa muito.

Fernanda Zanon

Psicologia Clínica

CRP 12/12792

(48) 99666-1330

Avenida Ganchos, 500, 1º andar – sala 4 – Ganchos do Meio

Edifício Comercial Farmácia Sodré

 

Leia também:

Quando dizer NÃO é um SIM?

Imagens: Reprodução

Comment

  • Rute Miriam ALBUQUERQUE

    dezembro 20, 2018

    Amei. Amei. AMEI! Posso fazer cópias e distribuí-lo na primeira reunião que realizo com as famílias, na ESCOLA, no início do ano letivo?
    Concordo com tudo o que você escreveu e mais: incentivo as famílias a buscarem ajuda, inclusive no serviço púbico. Tem gente que acha que psicólogo é só para quem tem dinheiro….Em São José município onde também moro e trabalho, há uma rede de proteção à infância com equipes multiprofissionais….É DIREITO!

    Replay

Deixe uma resposta

Você pode gostar também