Ansiedade – Parte 2

Fernanda Zanon – Psicóloga

No texto anterior, falei sobre os sintomas psicológicos da Ansiedade. Neste, abordarei os sintomas físicos, os tipos de ansiedade e tratamento.

Sintomas físicos da ansiedade

  • Dor ou aperto no peito e aumento das batidas do coração
  • Respiração ofegante ou falta de ar
  • Aumento do suor
  • Tremores nas mãos ou outras partes do corpo
  • Sensação de fraqueza ou cansaço
  • Boca seca
  • Mãos e pés frios ou suados
  • Náusea
  • Tensão muscular
  • Dor de barriga ou diarreia.

Crises de pânico

As crises de pânico são uma reação comum aos transtornos de ansiedade, principalmente na síndrome do pânico. Suas principais características são:

  • Sensação de nervosismo e pânico incontroláveis
  • Sensação de morte
  • Aumento da respiração
  • Aumento da frequência cardíaca
  • Tonturas e vertigens
  • Problemas gastrointestinais.
  • Em alguns casos, os sintomas físicos são tão intensos que podem ser confundidos com doenças como infarto e outros eventos cardiovasculares .

Relação entre ansiedade e depressão

Muitas pessoas acreditam que ansiedade e depressão são quadros opostos, mas eles têm sintomas muito semelhantes, como:

  • Medos
  • Insônia
  • Insegurança
  • Dificuldades de concentração
  • Irritabilidade

Grande parte das pessoas com transtornos de ansiedade evitam as situações que podem desencadear sintomas e, com isso, passam a viver de forma muito restrita como: não sair de casa sozinho, não participar de encontros e outros eventos sociais, ficar preocupado com tudo e acabar não fazendo nada.

Quanto mais a ansiedade abala a vida de uma pessoa, maior a chance de ela ficar deprimida.

Tanto a ansiedade, quanto à depressão, costumam estar ligadas a disfunção de neurotransmissores chamada monoaminas, que englobam a serotonina.

Tipos de Ansiedade

  • Transtorno de ansiedade generalizada (TAG)
  • Síndrome do pânico
  • Fobia social
  • Fobias específicas
  • Transtorno Obsessivo Compulsivo (TOC)
  • Transtorno de estresse pós-traumático

Causas:

  • Não se sabe ao certo por que algumas pessoas são mais propensas à ansiedade descontrolada do que outras. Alguns dos fatores que podem estar envolvidos são:
  • Genética, ou seja, histórico familiar de transtornos de ansiedade
  • Ambiente, por exemplo passar por algum evento traumático ou estressante
  • Mentalidade ou modelo de pensamento, ou seja, a forma como a pessoa estrutura seus pensamentos ou linhas de raciocínio e, consequentemente, encara as situações do dia a dia
  • Doenças físicas.

Entre as doenças físicas que podem estar relacionadas à ansiedade, encontramos:

  • Problemas cardiovasculares, como as arritmias cardíacas
  • Doenças hormonais, como hipertireoidismo ou o hiperadrenocorticismo (aumento de atividade da glândula adrenal)
  • Problemas respiratórios, como o DPOC (Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica)
  • Dores crônicas
  • Abuso de drogas, álcool ou medicações como os benzodiazepínicos.

Fatores de Risco:

  • Eventos traumáticos na infância ou mesmo vida adulta
  • Estresse relacionado a doenças físicas sérias
  • Acúmulo de estresse
  • Tipo de personalidade, já que algumas pessoas tem uma personalidade naturalmente ansiosa, como os perfeccionistas e os controladores
  • Abuso de substâncias, como álcool, cigarro e drogas ilícitas.

Tratamento

  • O tratamento da ansiedade em casos de moderado a grave deve ser acompanhado por um médico psiquiatra que prescreverá a medicação que melhor se adequar ao paciente.
  • A psicoterapia com um psicólogo deve ser feita em conjunto com o tratamento medicamentoso antes, durante e depois do desmame.
  • Fundamental que o uso de medicamentos aconteça somente com acompanhamento médico.

 

Ansiedade – Parte 1

***********

Fernanda Zanon

Psicologia Clínica

CRP 12/12792

(48) 99666-1330

Avenida Ganchos, 500, 1º andar – sala 4 – Ganchos do Meio

Edifício Comercial Farmácia Sodré

imagem: reprodução

Deixe uma resposta

Você pode gostar também