Vaga de emprego – Garçom/Garçonete Bilíngue

PONTA DOS GANCHOS RESORT CONTRATA

Garçom/Garçonete Bilíngue
Tipo de contrato: Tempo integral/ 8 horas diárias
Experiência na área: Pelo menos 6 meses
Requisitos básicos: Ter alguma experiencia em atendimentos com público e falar inglês.
Remuneração: A combinar
Benefícios: VT com desconto de 6%, refeição dentro do hotel sem custo,

Os interessados devem entrar em contato pelo e-mal: rh@pontadosganchos.com.br 

“Nós ossos que aqui estamos, pelos vossos esperamos”

Por Suzi Aguiar

Li esta frase na Capela dos Ossos da cidade de Évora, em Portugal. Nela todas as paredes são revestidas de ossos humanos. Mas, ao contrário do que se possa pensar, de assustador não tem nada. Foi construída no século XVII por três frades franciscanos, com o objetivo de transmitir a mensagem de transitoriedade e fragilidade da vida humana. Diante dos ossos não distinguimos os ricos ou pobres, pretos ou brancos, gordos ou magros. Sem nenhuma exceção, todos têm o mesmo fim e se igualam completamente.

Refletir sobre estes aspectos que permeiam os ciclos de vida e morte é sempre bem-vindo. Mais uma vez Finados está aí e os cemitérios recebem todos os cuidados. Os túmulos são lavados, pintados, as flores são substituídas. Em cada uma delas estarão os sentimentos de amor eterno, de saudade infinita, mas podem também falar de mágoas, tristezas pelo que se deixou de fazer ou de viver com aqueles que se foram.

Todos nós temos uma história de vida e são os traços do que somos e vivemos aqui que vão definir o quanto a falta será sentida. Ninguém é bom ou mau por inteiro, entretanto, as características mais intensas serão as mais lembradas. A nós que aqui estamos, nesta época especialmente, é comum refletir sobre os laços que nos ligavam aos que se foram. Tentar não repetir erros ajuda na busca da paz interior.

Muitas vezes passamos a vida inteira remoendo mágoas. Às vezes guardamos palavras que podiam esclarecer mal-entendidos, deixamos de pedir ou dar perdão. Histórias assim deixam uma fresta entreaberta e o ciclo não se fecha. Outras vezes a dor é tão forte e o inconformismo tão latente, que não deixamos o outro ir-se definitivamente. O luto prolongado adoece a todos, não apenas aos que saudade não se apieda. Os que estão a volta também se enternecem pelo sofrimento exacerbado.

Deixamos o outro ir quando falamos do seu nome sem nó na garganta, quando as lágrimas de saudade vêm acompanhadas do riso, fruto das boas lembranças. Deixá-lo ir não é esquecer, bem ao contrário, é internalizá-lo definitivamente no coração e, assim, tê-lo por perto para sempre.

Já tenho um bom número de pessoas queridas do outro lado. Procuro pensar que a vida aqui não é a única, nem a mais importante e que haverá, sim, o reencontro. Aceitar que somos finitos ajuda a superar a tristeza e a saudade.

Meu desejo é que todos os que precisaram devolver a Deus pessoas amadas, especialmente neste último ano, tenham a sensação de dever cumprido e paz no coração.

Nós outros que aqui estamos, um dia em ossos nos transformamos. Isto é certo! Vale refletir!

Artigo – O que não morre não vive

Por Suzi Aguiar

As velhas e surradas sandálias cobertas de poeira foram testemunhas de sua longa trajetória. Por onde passara palavras de amor, sermões simples, mas de sábias mensagens emocionavam e traziam esperança.

Muitos foram os que deixaram tudo para trás e O seguiram. Mas é comum ver os que espalham amor e apontam outro caminho colherem desconfianças e dúvidas, fruto de um ser humano cada vez mais equivocado. Se por um lado multidões O seguiam, mais e mais inveja pairara entre os soberbos.

Fora então perseguido, traído, julgado, crucificado e morto.

As estações da via sacra vistas e acompanhadas nos quadros da igreja desde minha infância, ou nos livros e filmes, hoje parecem mais reais. Da mesma forma mais palpável parece-me a dor daqueles que Lhe eram mais próximos. Se fecho os olhos sinto a dor de Maria ao segurar o filho morto, cujas chagas esvaiam seu sangue. Somente sendo uma fortaleza, uma mulher nascida e preparada para dar à luz ao Filho Divino, poderia entender e aceitar o quanto o mundo fora rude com aquele que veio para nos salvar.

Posso imaginar o povo que o amava, acuado frente aos soldados de Pilatos e de uma multidão que refutavam Cristo como salvador do mundo. Posso presumir o quanto sofreram vendo Aquele que seria a luz morrer de forma tão bárbara.

Depois de ver o filho de Deus suplicar perdão aos seus algozes e em seguida dar o último suspiro, passos miúdos, sensação de que o chão saíra de seus pés, com o vazio consumindo o âmago, voltaram para suas casas.

O que fazer então? Qual o sentido da vida depois que a luz se apagou? Como seguir em frente se tudo seria dor, tristeza, insegurança, quietude e desalento? Como seguir depois que fora resumida em morte?

A morte, esta presença que amedronta, que recolhe, ao mesmo tempo une a comunidade em torno de uma dor e do sonho da vida eterna. Foi essa promessa que empurrou para frente passos cansados, seres que perdiam o sentido ali no Monte Calvário, aos pés da última cruz erguida.

E se Jesus voltasse da mesma forma e passasse a pregar a promessa de um novo tempo, de um novo mundo para os que fossem bons e justos você acreditaria? Você seria um dos escolhidos ou O crucificaria mais uma vez?

Prepara-se para o momento da partida, do ajuste de contas no outro lado da existência, busque ressurgir ininterruptamente.

Que possamos estar preparados, que possamos renascer no perdão das ofensas proferidas e recebidas, porque o que não morre não vive… mas como é difícil!

Faculdade recebe pré-vestibulandos e lança game interativo para apoiar na escolha da carreira

Temporada do Giro de Profissões contará com jogo online, ferramenta que ajuda no conhecimento do perfil profissional de forma dinâmica e divertida

 Se para alguns, a escolha da carreira não é mistério nenhum, para a maioria, a decisão pode ser encarada como um verdadeiro desafio. Pesquisas indicam que mais de 60% dos jovens ficam indecisos na hora de optar pela profissão. “Hoje, quem embarca no ensino superior tem inúmeras possibilidades e a escolha inadequada pode representar uma carreira desmotivadora que afetará várias áreas, inclusive a saúde, por isso, autoconhecimento é fundamental”, comenta Jaqueline Voltolini de Almeida, coordenadora do curso de Psicologia da Anhanguera São José.

 Para reduzir as chances de frustração e potencializar a oportunidade de uma escolha profissional mais coerente e segura, a faculdade estará de portas abertas para receber os alunos do Ensino Médio que quiserem conhecer o ambiente acadêmico. As visitas acontecem nesta quinta-feira (17), das 9h às 11h e das 19h às 21h. O campus fica na Rua Luiz Fagundes, 1680 – Praia Comprida, São José (SC).

O Giro de Profissões é uma iniciativa voltada especialmente aos alunos do Ensino Médio de escolas públicas e privadas, com a proposta de aproximá-los da universidade e da vida acadêmica. “Este projeto representa um momento muito especial em que a instituição de ensino superior abre as portas para o aluno. É a oportunidade de conhecer a infraestrutura, os cursos de graduação, de trocar experiências valiosas com os veteranos e saber mais sobre a área desejada”, comenta Fernanda Jardim, diretora da Anhanguera São José.

 Game inédito

Para quem está em dúvida, a boa notícia é a chegada do Giro de Profissões – Jogada de Mestre, um game virtual com a proposta de apoiar o jovem na escolha do futuro profissional. Para participar é bem simples. O jovem responde dez perguntas pré-selecionadas assinalando as alternativas que combinam com ele. Com base nas respostas, o game analisa seu perfil e sugere a alternativa que se encaixa melhor para a escolha da área: Humanas, Exatas ou Biológicas. 

“Idealizado para falar a mesma língua do jovem, que é nosso público-alvo, o game conta com um avatar e é semelhante a um teste de habilidade que ajuda o jogador a conhecer melhor seu perfil e a ter maior clareza neste momento desafiador que é a escolha da futura profissão”, diz Fernanda.

A próxima fase, após entender melhor o perfil, é a de conhecer mais sobre as carreiras que combinam com ele. Assim o jogador pode acessar, na tela seguinte, um E-book com detalhes sobre a profissão, o público-alvo e os seguimentos de atuação deste profissional. Para a diretora, a ferramenta, é uma forma de apoiar e incentivar o jovem a refletir sobre a escolha: “é importante ajudar a transmitir a ideia de que este momento pode ser uma experiência mais leve. O jogo é justamente um meio para isso, mostra que essa escolha pode ser pensada de forma dinâmica, informativa e divertida”, conclui.

Para participar do game, basta acessar o site www.girodeprofissões.com.br e se cadastrar gratuitamente.

Serviço

Giro de Profissões

Data: 17/10, quinta-feira

Horário: Das 9h às 11h e das 19h às 21h

Local: Campus Anhanguera São José (Rua Luiz Fagundes, 1680 – Praia Comprida)

Eu seria professora de novo, se a vida recomeçasse!

Por Suzi Aguiar – Professora

Não há como não lembrar. Nem há como esquecer as centenas de histórias vividas na pele da professora que fui. Foram 32 anos. Já faz quase uma década que fechei o ciclo e me aposentei e eu ainda gosto de dizer que sou professora. Isto me dá orgulho, uma espécie de poder, de saber-se capaz de transformar vidas e isto não há salário que pague.

Me vejo professora quando invento para sobrinhos e neto brincadeiras envolvendo letras e números. Quando, empolgada, modifico a entonação de voz para deixar claro que o personagem da história mudou. Me vejo professora sentada no chão ou inventando mil peripécias para que qualquer brincadeira vire uma divertida aprendizagem.

Não! Não sou só uma avó apaixonada por letras e livros! Minha alma é professora! Ela precisa ver-se ensinando.

Quando estou com crianças me transformo. As brincadeiras que favorecem o ler e o escrever brotam do nada, sem planos, sem intenção. Elas apenas vêm! E fico feliz com a sintonia que surge entre mestre e aprendiz. O sorriso da descoberta e o olhar de quem aprendeu são impagáveis, tal qual a sensação de que, sim, eu ainda sei ensinar.

A paixão pela docência nasceu comigo. Sem nenhum tabu digo que fui uma professora apaixonante e apaixonada por ensinar e aprender. Inventava mil brincadeiras e atividades divertidas. Era incansável especialmente com aqueles que tinham dificuldades. Jamais desisti de um aluno. Amava o trabalho de conquistar a confiança.

Nos últimos anos me via cansada de dar aulas. Cansada do dia a dia maçante. Cansada de pais irresponsáveis. Estava exausta de mergulhar de cabeça nos problemas que não eram meus, exausta das promessas dos governantes que nunca se cumpriam. Algumas vezes me deixava abater por esta nuvem cinzenta que cobria a beleza do ensinar e aprender.

Eu me aposentei.  Fiquei distante das escolas para varrer do coração todos os cansaços que me afligiam.

Tanto tempo longe deste cotidiano e me vejo com saudade dos meus pequenos. Das dezenas de beijinhos melados na chegada. Dos abraços apertados da saída. Saudade da mesa repleta de presentes dados com o mais inocente e profundo amor: uma tampinha de garrafa, uma flor, muitos desenhos que diziam mais que uma folha inteira de palavras, uma bala – isso, aquela que alguém achara necessária para retribuir o sorriso todas as manhãs. Saudade de tantas outras coisas que podiam parecer insignificantes, mas que tinham todo o sentido para dizer implicitamente “eu te amo”.

O mundo mudou. A vibe é outra: livros interativos, diferentes idiomas, e todos os desenhos vistos na palma da mão dos pequenos, novos jeitos de ensinar. Mas a figura do professor e do aluno continuam se conectando apenas com o coração e, quando isso acontece, o amor é a soma total.

É desta paixão que tenho saudade. É este querer bem que me faz falta. Que bom que eu vivi tantas histórias bonitas, tanta entrega recíproca capaz de fazer irrelevantes o cansaço e as decepções.    

Que bom que eu posso dizer: Eu seria professora de novo se a vida recomeçasse…

Projeto de castração social acontecerá no próximo sábado, dia 12/10

Um grupo de protetores independentes de animais, que se engajam para reduzir o número de cães e gatos abandonados, realizará no próximo sábado, dia 12 de outubro, o 1º Projeto de Castração Social no município de Governador Celso Ramos. O evento conta com o apoio da Prefeitura Municipal, Secretaria de Saúde e Centro do Bem Estar Animal.    

Durante todo o dia, das 9 às 16 horas, o projeto estará sendo realizado na Praça 6 de Novembro, em Ganchos do Meio, e terá quatro ações:

1) Brechó de roupas, bijuterias e outros acessórios (todo dinheiro arrecadado será usado para castrações).
2) Banca para inscrições: quem deseja inscrever seus animais para castração, deverá comparecer no evento. Entre os requisitos necessários deve ser morador da cidade de Governador Celso Ramos e possuir renda inferior a dois salários mínimos. O dono do animal terá apenas o custo da medicação. Nesta data serão feitas as inscrições para, posteriormente, os voluntários entrarem em contato para os agendamentos.
3) Banca para doações: A cada R$ 20,00 em doação a pessoa ganha um cupom. O vencedor ganhará um brinde surpresa. O valor arrecadado será repassado para o grupo de voluntários para futuras castrações. 
4) Feira de doação: a Prefeitura levará os filhotes do canil para doação. Quem adotar um animal preencherá um termo de adoção. Todos os animais adotados terão as vacinas e a castração garantidas pela prefeitura.

Para uma das voluntárias do grupo de protetores independentes, Melissa Lima, a castração é muito importante porque o número de animais abandonados cresce a cada dia. “Há dois anos comecei a castrar principalmente gatos e gatas da vizinhança, de vizinhos. Até que as pessoas começaram a me procurar para, inclusive, pagar o valor da castração, porque elas têm dificuldade em levar o animal para uma clínica específica para castrações, fora da cidade. As pessoas querem castrar seus animais, mas não tem como levar. Por isso o grupo decidiu se unir, juntamente com a prefeitura e o centro do bem estar animal, para dar uma impulsionada nesse processo de conscientização e castração social. Devemos ter consciência. Uma gata por exemplo em uma cria são em média seis filhotinhos novos, e a amplitude disse, em pouco tempo, é absurda. Assim acontece de muitos animais ficarem abandonados porque não têm como cuidar de todos. Me preocupei em começar a movimentar o projeto justamente porque as pessoas começaram a me procurar”, conta Melissa. 

Participe, faça doações, adote um bichinho de estimação, inscreva seu cachorro ou gato para castração social. Não perca!!!

Mais informações: (48) 3039-8815/3039-8816.

 

Feira de Ciências contou com presença da artista plástica Daisy Américo

Artista Daisy e professora Juliana

Alunos da Escola de Educação Básica Dr. Aderbal Ramos da Silva, de Governador Celso Ramos, expuseram diversos trabalhos na Feira de Ciências deste ano, realizada na última sexta-feira, dia 30 de agosto. Alunos da turma 701, que contou com a regência da professora de artes Juliana Baldança, recebeu a presença da artista plástica Daisy Américo para abrilhantar o trabalho desenvolvido no decorrer do segundo trimestre.

“Durante o período de estudo orientei os alunos a buscarem através da arte conhecer um pouco mais sobre a bela cidade de Florianópolis e sua história. O intuito, claro, era valorizar a cultura açoriana e retratar alguns cenários presentes no cotidiano daquela região”, comenta a professora Juliana que decidiu, junto ao grupo, recorrer a artista plástica Daisy Américo, natural de Blumenau, que veio morar em Florianópolis ainda criança, algumas sugestões para o trabalho da turma.

As obras da artista são uma maneira de agradecer o acolhimento da cidade de Florianópolis, assim como demonstrar o imenso amor e gratidão por tudo que aqui existe. “Ela retrata de uma maneira colorida, alegre e descontraída a cultura e cenas do cotidiano. Os alunos em si, conseguiram retratar muito bem a ideia proposta. Os trabalhos ficaram maravilhosos, fiquei muito orgulhosa da turma”, acrescenta Juliana.

A artista Daisy Américo se fez presente durante todo o dia na Feira de Ciências do Aderbal, momento em que conversou com alunos, pais, professores e visitantes.

Alunos orgulhosos com o resultado do trabalho de artes

Texto: Cristiane Toschi – jornalista

Fotos: Divulgação

Escola de música Search 7 oferece primeira aula gratuita

O professor Pablo André S. Neves toca instrumentos musicais como violão desde os 12 anos

Texto: Cristiane Toschi – jornalista

Fotos: Divulgação

Aprender a tocar um instrumento musical auxilia em diversos quesitos fundamentais para a convivência no dia a dia das pessoas. Ajuda a trabalhar a concentração, auxilia a coordenação motora e promove momentos de relaxamento e diversão.

Por isso, o apaixonado por música, professor e publicitário Pablo André S. Neves, de 38 anos, e também autoditada, quer passar sua vasta experiência pra frente. Há três meses montou a escola de música Search 7, no bairro de Palmas, e oferece a primeira aula gratuita.  

“Toco há mais ou menos 25 anos, 15 profissionalmente. Hoje ofereço na escola aulas de guitarra, violão, baixo e bateria. Incentivo todas as pessoas que apreciam a arte da música a aprender a tocar um instrumento, porém, quanto mais cedo melhor porque vai muito de pessoa para pessoa. É fundamental para a coordenação motora, concentração, paciência, harmonia, autoconhecimento, relaxamento, combate ao estresse e, principalmente, diversão. A música é um componente completo, está em todos os lugares, em nossas casas, nossos carros, no teatro, na dança, no cinema, nas festas. A música está no dia a dia, tanto, que às vezes passa despercebida. Com a música, podemos melhorar as habilidades sociais, a disciplina, memória e ainda oferece um benefício extra: a cultura”, comenta Pablo Neves que montou sua primeira escola em 2003, na cidade de Sunnyvale, Estado da Califórnia, nos Estados Unidos, na qual se chamava The Search Music School. “Creio que funciona até hoje com outro nome. Quem ficou c

Eduardo tocou em bandas de metal

om ela foi uma polonesa professora de piano e deve se chamar Pleasanton”.

A escola conta também com a parceria e talento do professor Eduardo Supi, 27 anos, guitarrista, baixista e baterista. Já tocou em diversas bandas de metal como Warhell, Inside They Die, Infernal War, Chronicles of Hate. 

Banda The Search 7 surgiu nos Estados Unidos

Pablo é um músico autodidata

Quando morava nos Estados Unidos, o músico Pablo Neves montou a banda The Search 7, inicialmente para produção de trilhas sonoras de esportes radicais. “Uma das trilhas, inclusive, foi vendida para a marca Rip Curl. Depois que retornei para o Brasil comecei a escrever algumas letraspara as trilhas e acabaram se tornando músicas que estão no disco. Lancei um single chamado Adrenalina, numa coletânea lançada em 2016, produzido pelo produtor musical Rick Bonadio, em São Paulo”.

Método de inglês para conversação

Pablo Neves é natural de Blumenau – S.C. e morou parte de sua infância nos Estados Unidos. Seu idioma de origem é o inglês, vindo a aprender a língua portuguesa após os 10 anos de idade. “Dou aulas de inglês há muitos anos, comecei na faculdade para juntar dinheiro para viajar e acabei criando uma forma própria de ensino. Assim como aprendi a falar o português com 10 anos, utilizo a mesma metodologia que aprendi, ou seja, falar falando. Somente a gramática necessária. Assim como quando você é criança, aprende primeiro a falar e depois a escrever. 99% das crianças brasileiras têm inglês na escola e não aprendem a falar, pois é ensinado gramática antes do idioma em si. Primeiro aprenda a falar e depois escrever”, sugere Pablo que oferece aulas particulares de inglês.

Para mais informações sobre as aulas de música e de inglês

entre em contato: 48 9 9603-7577 com Pablo Neves.

 

Ansiedade – Parte 2

Fernanda Zanon – Psicóloga

No texto anterior, falei sobre os sintomas psicológicos da Ansiedade. Neste, abordarei os sintomas físicos, os tipos de ansiedade e tratamento.

Sintomas físicos da ansiedade

  • Dor ou aperto no peito e aumento das batidas do coração
  • Respiração ofegante ou falta de ar
  • Aumento do suor
  • Tremores nas mãos ou outras partes do corpo
  • Sensação de fraqueza ou cansaço
  • Boca seca
  • Mãos e pés frios ou suados
  • Náusea
  • Tensão muscular
  • Dor de barriga ou diarreia.

Crises de pânico

As crises de pânico são uma reação comum aos transtornos de ansiedade, principalmente na síndrome do pânico. Suas principais características são:

  • Sensação de nervosismo e pânico incontroláveis
  • Sensação de morte
  • Aumento da respiração
  • Aumento da frequência cardíaca
  • Tonturas e vertigens
  • Problemas gastrointestinais.
  • Em alguns casos, os sintomas físicos são tão intensos que podem ser confundidos com doenças como infarto e outros eventos cardiovasculares .

Relação entre ansiedade e depressão

Muitas pessoas acreditam que ansiedade e depressão são quadros opostos, mas eles têm sintomas muito semelhantes, como:

  • Medos
  • Insônia
  • Insegurança
  • Dificuldades de concentração
  • Irritabilidade

Grande parte das pessoas com transtornos de ansiedade evitam as situações que podem desencadear sintomas e, com isso, passam a viver de forma muito restrita como: não sair de casa sozinho, não participar de encontros e outros eventos sociais, ficar preocupado com tudo e acabar não fazendo nada.

Quanto mais a ansiedade abala a vida de uma pessoa, maior a chance de ela ficar deprimida.

Tanto a ansiedade, quanto à depressão, costumam estar ligadas a disfunção de neurotransmissores chamada monoaminas, que englobam a serotonina.

Tipos de Ansiedade

  • Transtorno de ansiedade generalizada (TAG)
  • Síndrome do pânico
  • Fobia social
  • Fobias específicas
  • Transtorno Obsessivo Compulsivo (TOC)
  • Transtorno de estresse pós-traumático

Causas:

  • Não se sabe ao certo por que algumas pessoas são mais propensas à ansiedade descontrolada do que outras. Alguns dos fatores que podem estar envolvidos são:
  • Genética, ou seja, histórico familiar de transtornos de ansiedade
  • Ambiente, por exemplo passar por algum evento traumático ou estressante
  • Mentalidade ou modelo de pensamento, ou seja, a forma como a pessoa estrutura seus pensamentos ou linhas de raciocínio e, consequentemente, encara as situações do dia a dia
  • Doenças físicas.

Entre as doenças físicas que podem estar relacionadas à ansiedade, encontramos:

  • Problemas cardiovasculares, como as arritmias cardíacas
  • Doenças hormonais, como hipertireoidismo ou o hiperadrenocorticismo (aumento de atividade da glândula adrenal)
  • Problemas respiratórios, como o DPOC (Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica)
  • Dores crônicas
  • Abuso de drogas, álcool ou medicações como os benzodiazepínicos.

Fatores de Risco:

  • Eventos traumáticos na infância ou mesmo vida adulta
  • Estresse relacionado a doenças físicas sérias
  • Acúmulo de estresse
  • Tipo de personalidade, já que algumas pessoas tem uma personalidade naturalmente ansiosa, como os perfeccionistas e os controladores
  • Abuso de substâncias, como álcool, cigarro e drogas ilícitas.

Tratamento

  • O tratamento da ansiedade em casos de moderado a grave deve ser acompanhado por um médico psiquiatra que prescreverá a medicação que melhor se adequar ao paciente.
  • A psicoterapia com um psicólogo deve ser feita em conjunto com o tratamento medicamentoso antes, durante e depois do desmame.
  • Fundamental que o uso de medicamentos aconteça somente com acompanhamento médico.

 

Ansiedade – Parte 1

***********

Fernanda Zanon

Psicologia Clínica

CRP 12/12792

(48) 99666-1330

Avenida Ganchos, 500, 1º andar – sala 4 – Ganchos do Meio

Edifício Comercial Farmácia Sodré

imagem: reprodução

MANEZADA É CAMPEÃ DA 7ª GINTERGOV

Nas últimas semanas, as cores azul, verde e amarelo tomaram conta de Governador Celso Ramos. Alunos, pais e servidores públicos participaram da sétima edição da GINTERGOV (Gincana Interescolar de Governador Celso Ramos), organizada pela Prefeitura de Governador Celso Ramos através da Secretaria de Educação, Esporte e Cultura. 
Desde os primeiros dias, a atual edição da gincana dava sinais de que esta seria a edição mais disputada da história. Em cada prova e etapa conquistada, crescia o sonho das equipes Azulnimados (Azul), Iluminados (Amarelo) e Manezada (Verde) de faturar mais uma gincana. 
No último sábado, 17 de agosto, no Ginásio Municipal de Esportes, no bairro Calheiros, aconteceu a última etapa da competição. Nas arquibancadas, os gincaneiros agitavam o espaço e faziam uma linda festa em cada prova executada. A última prova foi um musical do filme O Rei Leão, em que todas as equipes trouxeram um show de cores, cenários maravilhosos e performances arrebatadoras.
Após o término da prova a expectativa tomou conta do ginásio, os organizadores se reuniram para computar a pontuação total e declarar a classificação final da gincana. O terceiro lugar ficou com a Azulnimados, em segundo lugar a Iluminados e a campeã da sétima GINTERGOV foi a equipe Manezada que faturou o seu segundo título da competição.